Ikeapélago do gulag

No agora clássio Gulag: A History, Anne Applebaum mostrou que o gulag não era “apenas” a rede de campos de concentração. Era também o trabalho forçado nas minas, na agricultura, na indústria, na construção. E parece que no IKEA também, pelo menos na RDA. Em termos de competitividade e vantagens comparativas, o trabalho escravo é difícil de bater. Já se conhecia a militância do seu fundador num partido nazi sueco, nos anos 30 e durante a guerra. Ficou a conhecer-se agora o seu espírito ecuménico em matéria de totalitarismos. Apesar da devoção saloia que a Escandinávia suscita, a sua História ainda está por fazer.

Advertisements


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s